Sobre o amor em tempos difíceis

Nestes tempos tão difíceis,

de cólera, trapaça, asco,

em que resplandecem os vices

(Temer, Dornelles, Vasco…),

falemos um pouco de amor,

esqueçamos o carrasco

que nos furta o voto e o humor

e não passa de um fiasco.

 

Vamos falar de amor, Adalgisa?

Agora que sei quem tu és?

Agora que vivo de brisa

e sigo ao sabor das marés?

Falemos, enfim, de amor,

agora que és revelada?

Percamos de vez o pudor,

façamos sexo na escada?

 

Mal sabes de mim, Adalgisa.

Somente imaginas que sabes.

Tu te supões pitonisa,

porém, ignoras que cabes

inteira no meu coração.

Nem sabes que és Adalgisa,

que trazes contigo a unção

de que minha vida precisa.

 

Sei tanto de ti, Adalgisa.

Teus braços, teu colo, teus pés…

Por todo teu corpo deslisa

o meu olhar de viés.

Teu vestido azul florido,

teus cabelos de cetim,

o teu quadril tão fornido

que teima em bulir pra mim.

 

Nestes tempos de desdita,

de golpe, ira, malfeito,

repares, mulher bonita,

no teu poeta imperfeito.

Quem dera tu me soubesses,

Adalgisa, a ansiada.

Te daria, se quisesses,

a Lua por ti desejada.

Anúncios

4 comentários sobre “Sobre o amor em tempos difíceis

  1. Muita coincidência esse tema, logo hoje que vinha de uma viagem ouvindo Roberto Carlos, e quando tocou a música Outra vez, pensei muito em uma ex namorada inesquecível quando ouvi esse trecho:

    ” Das lembranças que eu trago na vida
    Você é a saudade que eu gosto de ter
    Só assim sinto você bem perto de mim
    Outra vez ”

    Viva o romantismo !!

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s