Sobre Freixo, José Trajano, sonhos e portadores de sonhos

A vitória de Marcelo Freixo na disputa pela vaga de adversário do xará Crivella no segundo turno da eleição pra prefeito do Rio, que devolveu o PMDB de Eduardo Cunha, Eduardo Paes e Pedro Paulo à sua desimportância ideológica, acordou a lembrança de 2002, quando Lula carregou na candidatura dele o sonho de uma sociedade diferente. Do ponto de vista político, deu tudo errado, como se sabe. Mas o sonho era bom.

Muita gente queria aquele país simbolizado pela campanha do Lula. Muita gente queria. Muita gente queríamos.

Lula, ali em lua de mel com o Brasil, era só o portador do desejo. O sonho, no fundo, é o que de verdade importava.

Ex-torneiro mecânico entronizado líder de um partido gestado nas greves do ABC paulista na virada dos duros anos 1970 para os 1980, Lula foi só o cara reconhecido pela maioria como o portador ideal do sonho coletivo de um país mais justo. Um país com escola boa pra toda criança e hospital decente pro pobre.

Uma nação em que pretos e brancos, e homens e mulheres, e homossexuais e transexuais fossem tratados da mesma maneira – e os ricos cedessem mais em nome da construção dessa sociedade ainda hoje aguardada.

Tudo começou bem, mas depois veio o que se deu. O PT conspirou contra sua própria história e fragilizou sua identidade, e seus pecados foram potencializados de um jeito extraordinário pela exposição desproporcional da mídia dominante, que jamais age da mesma forma quando no papel de réu está um aliado dos seus interesses.

Mas não é do Lula nem do PT que se quer falar nessa comparação com Freixo. Aliás, nem é do Freixo. É apenas do sonho mesmo. O sonho de quem votou no PT em 2002 e agora escolheu o candidato do PSOL no Rio.

Não é preciso ser um sabido nos avessos e nos cartesianismos da política pra entender que o sonho de quem votou no Lula há 14 anos é o mesmo de quem escolheu Freixo em 2016 – e isso prova que o pensamento hegemônico pode muito com suas imposições e armadilhas e malícias, mas não pode tudo.

Não pôde, por exemplo, destruir aquele sonho de 2002. Lula e o PT estão aí hoje destroçados, e continuam sendo a cada manhã em que os jornais chegam às bancas – mas o sonho que ambos representavam naquela eleição, não. Permanece intacto, e, parece, sempre haverá um portador pra conduzi-lo.

Se o papel do Lula e do PT foi comprometido, o sonho sobreviveu – e foi ele, este mesmo sonho antigo, que pôs Freixo no segundo turno do Rio.

Este mesmo sonho talvez tenha arrancado injustamente de Fernando Haddad a chance de alcançar o segundo turno em São Paulo, onde João Dória, o tucano da ocasião, foi oferecido em embrulho de presente ao eleitor como um contraponto dos escândalos da Lava Jato, exibidos com fartura pelo noticiário monotemático de uma imprensa que vê os fatos com os dois olhos, mas os interpreta com um só – o de quem manda.

Agora, caberá aos difusores e reprodutores do pensamento hegemônico a missão difícil e ingrata de ter de decidir entre Freixo e um representante da intolerância religiosa e homofóbica.

A vida é um processo permanente de escolhas. O cronista digital, que, muito seguro do seu gesto, teclaria “zero, zero, confirma” se no segundo turno do Rio estivessem o PMDB e o Crivella, deseja luz a quem ainda não se decidiu.

*  *  *  *  *

Por falar em sonhos, a demissão do jornalista José Trajano do canal ESPN, supostamente por suas posições políticas, doeu como mais um tiro dos muitos que um certo jornalismo brasileiro tem dado em si mesmo, numa renitente tentativa de suicídio.

O cronista digital, em sua iniciação no jornalismo, na finada “Tribuna da Imprensa”, foi chefiado por Trajano, e guarda isso como um troféu, com o maior orgulho.

Pobre redação a que abre mão do Trajano, homem tão digno e profissional tão competente, há tantos anos portador do mesmo sonho jamais corrompido.

Anúncios

6 comentários sobre “Sobre Freixo, José Trajano, sonhos e portadores de sonhos

  1. Ah, Marceu. Dessa vez me dói dizer que não posso concordar totalmente com você. Não acho que deu tudo errado, longe disso. O PT pode ter ficado muito distante do sonho no que diz respeito à política, mas na prática vimos sim o Brasil pelo menos dar os primeiros passos para tentar um dia ser uma nação em que pretos e brancos, e homens e mulheres, e homossexuais e transexuais são tratados da mesma maneira. Se é certo que o PT ‘fragilizou sua identidade’, você mesmo matou a charada da demonização exagerada do partido, cujos ‘pecados foram potencializados de um jeito extraordinário pela exposição desproporcional da mídia dominante’. Um dia alguém criou o aforismo ‘Comunista come criancinha’. Até hoje tem gente que acredita. Um abraço do tamanho dos nossos sonhos.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Querido Marceu,
    Se houve erros no PT,esse foi o de deixar de ser o PIÇOL que um dia foi.(partido dom quixote)
    Lembra da eleição vencida por moreira em cima de Darcy pela intransigência do PT e seu gabeira?
    Não há bom combate quando SEMPRE SE ENFRENTOU BANDIDOS e se for pelo caminho do voto,o PT fez o que precisou fazer….e o erro,foi crer em um pacto social nunca existente.
    Eu sabia…..
    O piçol é um partido de Dom Quixotes….
    Buscam com muita pretensão e pouca ou nenhuma CONVICÇÃO uma sociedade mais justa.
    Freixo desdenha Lula e o expulsa de seu palanque.
    Eu, já estou fora desse apoio muito antes dessa….
    E NÃO PRECISOU DE GOTA D’ÁGUA NENHUMA! !
    Nota; votei em Miltom Temer para senador, em Chico Alencar para deputado Federal e freixo -assim mesmo com letra minúscula- para deputado estadual. ..
    Aos chateados ou mesmo indignados com minha posição, lembro que com esse histórico pessoal, já cumpri por tempo demais esse papel de Sancho Pança.
    Me perdoem…os moinhos sempre me foram revelados, mas agora não mais ignorados.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s