O Brasil que vai acordar na segunda-feira de manhã

Certa vez, quando eu ainda não tinha idade pra compreender coisas assim, uma mulher mais velha e inalcançável me ensinou que ternura não é igual a amor. Nem igual a paixão ou desejo ou mesmo banzo.

“Ternura é ternura”, ela me disse, quase imaculada, querendo me fazer crer que a ternura é o mais singular dos sentimentos.

“Ternura é como picada que contamina. Uma sensação que logo se esvai, mas insemina dentro de você alguma coisa, quem sabe pra sempre.”

Hoje eu sei que é preciso passar da metade da vida pra se entender a matemática do tempo. Tempo é como ternura. Só depois que passa e nos contamina consegue nos fazer aprender o valor dos segundos no seu tique-taque incessante, seus segredos, seus códigos, suas mensagens.

Os últimos 27 anos, por exemplo, passaram rápido como navalha na minha carne. Passaram rápido como gozo que nos crispa a expressão e modifica os sons do nosso corpo na brevidade do seu acontecimento.

Assim foram os últimos 27 anos, com tudo que puderam conter – meus beijos e carícias dados e recebidos, minhas dores e meus pavores, minhas perdas e meus ganhos, minhas feridas e meus contentamentos. Os grandes e os pequenos acontecimentos.

Vinte e sete anos são o tempo que passou tão breve no Brasil desde a primeira eleição pra presidente da República, depois dos 21 de ditadura militar. Primeira eleição presidencial da vida de tanta gente. Primeira da vida de milhões de brasileiros. Primeira da minha vida, do jovem que eu fui, tão cheio de sonhos de futuro.

Há 27 anos, ainda estava fresca na minha memória e no meu coração a tinta da lembrança do show do 1° de Maio de 1981, no Riocentro, aquele mesmo, o da bomba, quando o adolescente que eu era saiu de Morro Agudo pra assistir à cena do quase-atentado ao chegar ao estacionamento com os amigos Severino e David.

O nosso medo. A correria. O Puma cinza metálico explodido. As vísceras expostas do capitão Wilson Machado. A gente sem entender nada direito. A gente entendendo tudo.

Há 27 anos, ainda mais fresca estava a tinta da recordação do jovenzinho que se posicionara no meio da multidão do Comício das Diretas, na Candelária, naquele 10 de abril de 1984, eu já estudante do Instituto de Arte e Comunicação Social da Universidade Federal Fluminense, o meu querido Iacs. 

Ferida e gozo. Tanto gozo e tanta ferida de lá pra cá.

O Brasil que elegeu Fernando Collor, há 27 anos, quando eu já era jornalista e trabalhava no “JB”, não é o mesmo hoje. Nem “JB” há mais.

Nem são os mesmos, hoje, os meninos e meninas de caras pintadas que, naqueles dias, ganharam as ruas e ganharam mais as ruas e mais um pouco as ruas e um pouco mais e ainda mais e ainda mais até conseguirem o impeachment do presidente escolhido por muitos de seus pais e mães.

Aqueles meninos e meninas de ontem são os pais e mães de agora, e já não se sabe mais o que querem, o que pensam eles e elas e seus filhos e filhas, aonde todos querem chegar. Parecem uma multidão dividida. Metade não quer o impeachment de Dilma. Metade quer.

O que a metade ansiosa pelo impeachment espera do Brasil que vai acordar na segunda-feira, 27 anos depois da primeira eleição presidencial pós-1964? Espera que a posse do vice Michel Temer determine o fim da roubalheira? Temer, um político sem voto, que só conseguiu o mandato de deputado federal, em sua última disputa, em 2006, graças ao quociente eleitoral do seu PMDB, em São Paulo? Essa metade espera a prisão do Eduardo Cunha? Espera a volta dos tucanos?

Ou espera apenas a imolação de Dilma pra punir Lula e o PT por terem traído e corrompido seu discurso? Isso é justo?

Quando Collor passou por processo igual, a Constituição de 1988 ainda não havia completado quatro anos. Collor foi afastado quando se comprovou que suas despesas particulares eram pagas com dinheiro arrecadado num esquema imundo de corrupção montado por seu ex-tesoureiro de campanha Paulo César Farias.

E Dilma, o que roubou? A esperança de alguns? Quem sabe até a minha? Mas isso lá é motivo pra impeachment, pra uma decisão tão grave e capaz  de dividir ainda mais as duas metades do país já tão exaltadas?

Duas metades que se sabe lá o que vão fazer uma com a outra a partir da segunda-feira de manhã. Ou talvez já na noite deste domingo.

Vinte e sete anos depois, o Brasil está melhor. Até quem não gosta ou já gostou e não gosta mais do Lula e do PT precisa reconhecer. Hoje, os pobres conseguem comer mais. A fome e a miséria estão domadas. A desigualdade é menor. Todos os setores da enorme composição da sociedade brasileira, com seus agentes econômicos e políticos, ganharam mais. Até quem não devia ganhou mais. Sabemos quem.

Dilma faz um governo ruim que ficou pior com a crise incendiada por Eduardo Cunha e seus iguais. Num sentido mais do que figurado, ele, sim, Cunha, parece ter cometido um crime de responsabilidade contra a Nação ao aceitar, como presidente da Câmara, a abertura deste processo sem dolo que o justifique.

E os deputados que o ajudam a se vingar de Dilma, dizendo “sim” ao impeachment, são seus coautores e deveriam todos, de alguma forma, também ser punidos por isso. Eles, sim.

Este processo parou o Brasil. Agravou o desemprego. Comprometeu ainda mais a economia. Separou amigos. Esgarçou ânimos. Incentivou as baratas e os ratos com mandato que infestam o Congresso Nacional. Aumentou a febre dos que não têm voto em seu desejo doente de poder.

Fez mal até mesmo à TV Globo, que, tanto tempo depois de ter iniciado uma reformulação de imagem, está aí de novo prisioneira dos versos entoados nas manifestações. “O povo não é bobo…”

Dilma cometeu pedaladas fiscais que permitiram fingir que estava tudo bem com o Brasil, e assim se reeleger. As tais pedaladas, segundo o Tribunal de Contas da União, foram cometidas pra financiar, entre outras coisas, o Bolsa-Família, o Minha Casa Minha Vida e a redução de juros pra geração de empregos.

Isso é errado? É. Mas todos os seus antecessores não fizeram igual – inclusive FH e até mesmo Lula? 

E por que eles não sofreram processo de impeachment? E não foi também o que fizeram 16 governadores? E por que também eles, governadores, não passam por constrangimento assim?

A democracia brasileira, devolvida do cárcere onde foi mantida por 21 anos à custa de muito sofrimento, muito sofrimento, precisa de cuidado neste momento grave. Seu resgate não teve preço. Nem toda a bufunfa que estaria na Suíça em supostas contas de Eduardo Cunha seria capaz de pagar por ela.

 

Anúncios

31 comentários sobre “O Brasil que vai acordar na segunda-feira de manhã

  1. Tambem não quero o impeachment. Também tenho muito medo de como esse país irá acordar na segunda. Também gostaria de ver todos esses políticos corruptos atrás das grades e banidos, para sempre, da vida pública. Tambem concordo que esse impeachment é uma grande jogada política.
    Mas, nfelizmente, não acho que Dilma seja inocente. Seu dolo? Além de ter cometido crimes que outros também cometeram e jamais foram punidos? Não. Pra mim o seu maior dolo foi o de ter embarcado nesse barco imundo junto com esses urubus que desde sempre rondaram a carniça da possibilidade do poder. Poder pelo poder.
    Gostaria imensamente que, por uma dessas obras inexplicáveis de Deus, o impeachment fosse barrado e que ela esgotasse em si mesma e nesse governo que tanto poderia ter feito, essa sede de poder e deixasse vir alguém que soubesse e tivesse meios de aplacar a fome desse país. Fome que, discordando de você, não foi domada. Foi apenas amarrada e corre sérios riscos de se soltar da coleira e devorar muitos mais do que os que dela tinham medo antes do governo PT.
    Grande texto, Marceu.
    Mas à Dilma os.louros de sua obra.

    Curtido por 2 pessoas

    1. Concordo com Vc Ana Paula.
      As pessoas não tem noção das consequências pra todo o país.
      Eu costumo dizer que bater em 1 só é fácil, o problema maior do país esta dentro do congresso com o Rato eduardo cunha e seus Ratinhos e no senado com o outro Rato renan calheiros e seus Ratinhos.
      E vamos nós aguardar…
      E que Deus nos proteja!!!

      Curtir

  2. A legitimidade do voto tem de ser respeitada!!!! Desde a noite do dia em que Dilma foi reeleita “os derrotados” pediram o seu “impeachment”!? Aqueles srs. que amanhã vão dar o seu voto, contra ou a favor do afastamento da Presidenta eleita por vontade do povo, devem naquele momento pensar, ter a lucidez de agir em benefício da democracia, do povo brasileiro!

    Curtir

  3. Reedito aqui um pensamento que ecoou nas redes e chegou até a câmara federal.

    1- E se Dilma tivesse 22 processos por corrupção, como Eduardo Cunha(PMDB)?

    2- E se Dilma tivesse 18 processos por corrupção, como José Serra(PSDB)?

    3- E se Dilma colocasse sob sigilo, por 25 anos, as contabilidades da Petrobras, Banco do Brasil e BNDES, como Geraldo Alkimin(PSDB) colocou as do Sistema Ferroviário paulista, das Sabesp e da Polícia Militar, após se iniciarem investigações da Polícia Federal, apontando desvios de muitos milhões?

    4- E se Dilma tivesse comprado um apartamento no bairro mais nobre de Paris e, dividindo-se o valor do imóvel pelos seus rendimentos, se constatasse que ela teria que ter presidido este país por quase trezentos para tê-lo comprado, caso de FHC(PSDB)?

    5- E se a filha da Dilma tivesse tido um único emprego, de assessora da mãe, e a revista Forbes a colocasse como detentora de um das maiores fortunas brasileiras, como no caso do Serra(PSDB) e sua filhinha?

    6- E se Dilma tivesse dado dois Habeas Corpus, em menos de 48 horas, a um banqueiro que lesou o sistema financeiro nacional, para que ele fugisse do país; desse um Habeas Corpus a um médico que dopava a suas clientes e as estuprava (foram 37 as acusadoras), para que ele fugisse para o Líbano; se fizesse uso sistemático de aviões do senador cassado, por corrupção, Demóstenes Torres(Dem); se tivesse votado contra a Lei da Ficha Limpa por entender que tornar inelegível um ladrão é uma “atitude nazi-fascista”(sic), tendo a família envolvida em grilagem de terras indígenas, como Gilmar Mendes (Ministro do STF)?

    7- E se Dilma tivesse sido denunciada seis vezes, por seis delatores diferentes, na operação Lava Jato, e fossem encontradas quatro contas suas, secretas, na Suíça, alimentadas por 23 outras contas, em paraísos fiscais, e o dinheiro tivesse sido bloqueado pelo Ministério público suíço, por entendê-lo fruto de fonte escusa, e tivesse mandado toda a documentação para o Brasil, com a assinatura dela, como aconteceu com Eduardo Cunha(PMDB)?

    8- E se Dilma tivesse vendido uma estatal, avaliada em mais de 100 bilhões, por apenas 3,6 bilhões, como FHC(PSDB) fez com a Cia Vale do Rio Doce?

    9- E se Dilma tivesse construído dois aeroportos, com dinheiro público, em fazendas da família, como fez Aécio Neves(PSDB)?

    10-E se Dilma tivesse sido manchete de capa no New York Times, por suspeição de narcotráfico internacional, gerando diversas reportagens na televisão norte americana e agentes do DEA (Departamento Anti Drogas dos EUA) tivessem vindo ao Brasil para investigá-la e um helicóptero com quase meia tonelada de pasta de cocaína fosse apreendido em uma fazenda de um amigo pessoal e sócio dela como ocorreu com Aécio Neves(PSDB)?

    11- E se Dilma estivesse na lista de Furnas, junto com FHC, Geraldo Alckmin, José Serra, Aécio Neves(todos do PSDB)… entre outros?

    12- E se Dilma estivesse acusada de receber propinas da Petrobrás, como Aloysio Nunes(PSDB)?

    13- E se Dilma estivesse sendo processada no STF, por ter recebido propinas da empreiteira OAS e ter achacado o Detran do seu estado, em 1 milhão de reais, como fez Agripino Maia(DEM)?

    14- E se Dilma tivesse sido denunciada como beneficiária do contraventor Cachoeirinha, além de estar sendo processada, por exploração de trabalho escravo, em sua fazenda, como Ronaldo Caiado(DEM)?

    15- E se Dilma estivesse sendo investigada na Operação Zelotes, por ter sonegado 1,8 milhão de reais e corrompido funcionários públicos, para que essa dívida sumisse do sistema da Receita Federal, como Nardes(Conselheiro do TCU, ligado ao PSDB)?

    16- E se a filha de Dilma fosse assessora do presidente da CPI da Petrobrás e lobista junto a Nardes, um conselheiro do TCU, e tivesse uma conta secreta no HSBC suíço, por onde passaram milhões de dólares, como Daniele Cunha, a filha de Eduardo Cunha(PMDB)?

    17- E se Dilma tivesse sido presa em 2004, por fraude em licitação de grandes obras, no Amapá, e tivesse sido condenada por corrupção, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, como Flexa Ribeiro(PSDB)?

    18- E se Dilma, quando prefeita de Salvador, tivesse sumido com 166 milhões das obras do Metrô, como Antônio Imbassay(PSDB)?

    19- E se Dilma tivesse sido governadora e, como tal, cassada, por conta de compra de votos na campanha eleitoral, corrupção e caixa dois. Como Cássio Cunha Lima(PSDB)?

    20- E se Dilma, em sociedade com Mário Covas(PSDB) tivesse comprado uma enorme fazenda no município mineiro de Buritis, em pleno mandato, e recebesse um aeroporto de presente, construído gratuitamente, de uma empreiteira, constatando-se depois que foi essa empreiteira a que mais ganhou licitações no governo FHC(PSDB), sócio de Covas?

    21- E se Dilma declarasse à Receita Federal e ao TRE ter um patrimônio de 1,5 milhão e a sua filha entrasse na justiça, reclamando os seus direitos sobre 16 milhões, só parte do seu patrimônio, como aconteceu com Álvaro Dias(PSDB)?

    22- E se Dilma estivesse sendo acusada de ter recebido 250 mil de uma empreiteira, na Operação Lava Jato, como Carlos Sampaio(PSDB)?

    23- E se Dilma fosse proprietária da maior rede de televisão do país, devendo quase um bilhão de impostos e mais dois bilhões no sistema financeiro, e tivesse o compromisso de proteger corruptos e derrubar a presidente, em troca do perdão da dívida com o fisco e financiamento do BNDES, para quitar as dívidas da empresa, como ocorreu no passado, caso dos irmãos Marinho, proprietários da Rede Globo de Televisão?

    Certamente Dilma, investigada noite e dia, em todas as instâncias, sem um indiciamento, sem sequer evidências de crimes, no dizer do promotor da Lava Jato e de um dos advogados dos réus, “uma mulher honrada”, não estaria com os citados pedindo o seu impeachment.

    O seu crime? Chegou o dia de pagar os carentes do Bolsa família e o tesouro não tinha dinheiro. A Caixa Econômica Federal pagou e recebeu três dias depois. Isto é pedalada e por isso todos os citados acima a querem fora do governo.

    Porque é desonesta ou porque é um risco para os desonestos?
    Para apressar a tramitação dos processos em curso ou para arquivá-los?”

    Texto escrito por Francisco Costa

    Curtir

  4. Um pouco de ternura, nesses dias conturbados faz um bem danado à alma. Mas o grande “erro” da Dilma foi ter baixado os juros para 7%. Isso eles não perdoam nunca. Dali pra frente foi só golpe. E nunca esperaram perder a 4ª eleição seguida, apesar de todas as baixarias que cometeram.

    Curtir

  5. Não, definitivamente não foi ‘poder pelo poder ‘. Foi, sim, ‘poder para poder ‘. Poucos se lembram como era antes. Governar pragmaticamente custou caro ao PT. Perdeu quadros importantes. Poderia fazer de outra forma? Talvez. Mas quem é que chega num hospital em estado grave, e diz que só admite ser atendido por um médico de conduta ilibada, que paga todos os seus impostos e que exige nota fiscal de tudo que compra? Como se chega aos grotões do país, sem se entender com os donos das porteiras? Muitos dirão que, pra ser do jeito que foi, era melhor não ter sido. Mas isso também é pragmatismo, ou não?
    A verdade é que mudamos para melhor. Muita coisa também me decepcionou. O segundo governo Dilma começou como começaria o de Aécio. Mas como já foi dito, Dilma está sofrendo este processo pelo que fez de certo, não pelos erros.

    Curtido por 1 pessoa

  6. Há poucos dias, depois de uma noite mal dormida em função das preocupações com essa situação política que enfrentamos, acordei tentando resgatar o que ainda sobrava de um sonho, daqueles que lamentamos que tenham sido apenas um sonho e que gostaríamos que dossem ou se tornassem realidade: me via em Brasilia, no domingo, dia 17/04/16, no gramado do Congresso, no meio de uma multidão separada por um muro. Clima tenso, todos acompanhando e aguardando o resultado da votação! Eu, ao lado daqueles que não querem o impeachment porque preferem a justiça, a verdade e a democracia! Do outro lado, aqueles que discordam de mim, muitos que não conheço e outros que, até pouco tempo, podia encontrar sem nenhum constrangimento. Eis que, como se dá em sonhos, inexplicavelmente, as multidões que pareciam prontas para um enfrentamento, de repente, começam a se abraçar, a conversar, e já não havia mais o muro! E então, em pouquíssimo tempo, antes mesmo do resultado final da votação, todos ali fora já se entendiam e sabiam que o que todos ali mais queriam era justamente o bem de todos! E se deram conta que precisavam avisar àqueles que estavam lá dentro que aquela votação já não fazia mais sentido! Deram-se as mãos, abraçaram o Congresso e cantaram o hino, com vigor e alegria, até que a votação foi interrompida… O dia chegou, mas o sonho não acabou, foi apenas interrompido!

    Curtido por 1 pessoa

  7. Um texto politicamente PT . O Brasil não gira em volta somente dos programas sociais , a pobreza está longe de ser domada , educação já não é mais prioridade para governo nenhum. até a merenda já não existe mais , professores saturados , a saúde pública um lixo . Há cada tragedia que acontece como Mariana fica claro como o Brasil esta longe de punir aqueles que só prejudicam os menos favorecidos , pois não existe JUSTIÇA … Nem para Dilma , lula , Eduardo Cunha e tantos outros empresários etc que um dia já prejudicou o povo brasileiro . Se o Impechamant vai ajudar em alguma coisa ? Sinceramente não sei . Dilma hoje responde não só pela sua pedalada fiscal .. Responde por suas atitudes que vão muito além do interesse do povo brasileiro . Só não vê quem não quer .

    Curtir

  8. Prezado Marceu Vieira. Cheguei à sua coluna de hoje a partir de uma referência muito positiva no blog do Marcelo Auler. Curioso, apesar dos mais de 60 nas costas, me pus a ler…
    Preciso dizer que aquela senhora, “inalcançável … quase imaculada”, realmente lhe ensinou (inoculou, talvez) de verdade o que é a Ternura. Este seu texto é um gesto de enorme ternura para com quem o lê, para com este nosso imenso País e sua gente. Obrigado!

    Curtido por 1 pessoa

  9. Infelizmente a exclusão social nunca vai acabar no Brasil e a mínima porém bem sucedida redução ocorrida nos últimos anos mexeu profundamente com essa classe média metida a besta que só olha para o seu umbigo e quer que os pobres voltem para as senzalas. Estou bastante preocupado com o que pode acontecer.

    Curtir

  10. Estou vendo Brasília como os presídios aqui de Pernambuco onde os presos que ainda não foram julgado são o PT o diretor do presídio se chama Sérgio moro que quer mostrar poder a qualquer custo e o chaveiro que toma conta das celas que é um réu condenado Che chama Eduardo cunha sem esquecer que todo presídio tem um x9 que não é ninguém mas que o vice temer que na hora da rebelião parte pra o lado do diretor pra não perder seus benefícios. Qualquer semelhança e mera coincidência.

    Curtir

  11. Amigo, se você não sabe, Dilma pertence à quadrilha do grande Comandante José Dirceu e do outrora grande comunicador e mito Lula. Tratam a coisa pública em regime de governo absolutista medieval. Em todas as áreas da economia e em todos os negócios com o Estado, é devido um percentual a esses líderes da quadrilha, além dos demais partícipes de cada crime em particular. É preciso aceitar e compreender essa realidade para que se possa assimilar a importância do impedimento da senhora. Mais bandidos no caminho? Sim. Assim é o Brasil. Continuaremos, precisamos continuar em vigilância permanente para derrubarmos todos os bandidos que se sucedem.

    Curtir

  12. Por: Márcio Augusto Costa

    “Eu fui PT
    Empunhei bandeira, colei adesivos.
    Fiz campanha, fui a comícios, usei broches que eu mesmo comprei.
    Sei de cor o jingles das campanhas de Lula
    Me irritei com as seguidas derrotas
    Gritei fora Collor, fora FHC e até fora Globo
    Chamei o plano real de golpe
    Falei que o “bolsa escola” era forma do governo comprar voto dos mais pobres.

    Eu fui PT por que tinha que ser
    Eu sou trabalhador, e não democrata, nem liberal, nem comunista
    Então o partido do Trabalhador era o lugar do cara que teve que trabalhar pra pagar a faculdade, e sabia que teria que continuar trabalhando duro pra comprar sua casa, pra pagar seu carro, pagar suas viagens.

    Eu fui PT por ideologia e não fisiologia.
    Não ganhei um centavo, não viajei de graça, não estudei de graça, e nem acho graça nas coisas de graça.
    Eu nunca achei golpe o pedido de impeachment de Collor, nem os diversos pedidos manejados contra Itamar ou FHC.
    A constituição atribuiu a representantes eleitos pelo povo a função de processar e julgar o presidente, e eu acho isso extremamente democrático.

    Eu fui PT
    E no ano de 2002 enviei cartões de Natal aos meus queridos amigos com a frase:
    “A Esperança venceu o medo!” Eu estava trabalhando na madrugada daquele natal!

    Eu fui PT,
    E se as redes sociais existissem naquela época, eu compartilharia textos não de Jean Wyllys, ou Jandira, por que eu li Hélio Bicudo, Cristovam Buarque, Fernando Gabeira, eles não são mais PT

    Fui PT até quando deu pra ser. Até o dia que o “T”de trabalhador foi substituído pelo “T”de trapaça, de trambique. Por que não de Traição.

    O partido dos trabalhadores se agarrou ao poder, e abraçou Renan, Sarney, Collor e até o Maluf, criou fantasias e contou mentiras, soltou a mão de pessoas honestas e sérias, e foi aí que deixei de ser PT.

    Eu deixei de ser PT, e me surpreendo com você
    Que contesta o fato de Cunha ser o condutor do impeachment
    Mas jamais contestou o fato dele ser um dos elos da aliança entre o governo e o PMDB

    Eu deixei de ser PT, e me decepciono com você
    Que acusa Temer de ser golpista e bandido,
    Mas jamais contestou o fato dele ser, desde o primeiro mandato, o vice presidente escolhido por Dilma

    Eu deixei de ser PT, e me assusto com você
    Que ao ouvir uma gravação não comenta o conteúdo, simplesmente afirma que escuta foi ilegal.
    Que diante de uma delação pautada em provas, limita-se a falar em vazamento seletivo.
    Que de frente a evidências de fraude, corrupção e tantos crimes, ataca a imprensa, a polícia e o Juiz.

    Eu deixei de ser PT, e me envergonho de você
    Que aplaude políticos processados, julgados e condenados que entram de punho erguidos na cadeia como se fossem vencedores e não ladrões
    Que afirma que o mensalão não existiu, que não há escândalo da Petrobras, que não é dono do sítio, nem do apartamento…. Que nunca soube de nada.
    Que afirma que não há crime em uma prática absolutamente ilícita só por que ela já foi feita por outros.

    Eu deixei de ser PT, e me incomodo com você
    Que vai as manifestações da CUT cheias de balões, camisetas vermelhas, e enormes palcos, tendas e militantes pagos, tudo custeado com dinheiro obrigatoriamente sacado dos salários de trabalhadores todos os anos com o nome de imposto sindical.

    Eu deixei de ser PT, e não entendo você
    Que fala em defesa da democracia, e afirma que pode ser golpe uma decisão de um congresso eleito pelo povo.
    Que fala em voto livre, mas aceita a compra parlamentares com cargos e dinheiro

    Eu deixei de ser partido, continuo trabalhador… e você?”

    Curtir

    1. Juliana
      Primoroso o seu comentário. Nunca fui petista mas respeitava o seu ideário de justiça social e os princípios éticos alardeados. Contra fatos não tem argumentos,e vc listou-os didaticamente. Até para um opositor foi decepcionante e deprimente ver a estrela que tanto orgulhava aos militantes petistas ostentar se apagar. Parabéns!

      Curtir

    2. Eu não cheguei a ser pt, graças a Deus. Mas concordo com seu texto. Tirando a importância singela da palavra ternura grifada por Marceu, o seu texto me provocou muito mais admiração. Concordo…..o pessoal que continua com a estrelinha no peito ignora o mensalão, ignora as propinas, ignora a roubalheira, ignora a tristeza que se abateu sobre nós. Eles gritam não vai ter golpe mas não gritam não roubamos… Eles ignoram, inclusive, a carinha do Temer lá na telinha da urna quando apertaram a tecla pra votar em Dilma. Cospem em cunha como se não tivessem dado as mãos a ele em busca da elegibilidade…. Nem vou falar de Maluf…não carece.

      Curtido por 1 pessoa

  13. texto bem escrito parabens mas gostaria de poder me espressar tbm fui eleitor de lula desde sua primeira campanha e tive como certo que ele resolveria as desiguadades socias e ele fez muito sobre isso mas infelizmente seus companheiros se deixaram se corromper pelo poder e isso fez com que hj vemos pessoas como o ex deputado do parana como exemplo o vargas que antes do lula ser presidente ser eleito tinha nada na vida e hj tem um patrimonio invejavel entre outros e isso hj me faz sentir a tristeza d eu ter lutatdo por um pais melhor e ver que meu sonho foi entregue a os cunha,renans da vida me doi não sei que esse impcnt vai passaar ou ñ mas que meu pt ta perdido esta e isso me intristesse p q ñ lutei pra ver isso

    Curtido por 1 pessoa

  14. O texto despertou meu interesse e meu respeito porque não se ater ao ser ou não ser pt, a concordar ou discordar de atitudes tomadas por uns e outros, de aceitar ou não aceitar conchavos e combinações políticas absurdas e inacreditáveis. O texto que li é muito mais abrangente do que tudo isto. Para mim
    o texto se refere a valores, éticos e morais, se refere a compromissos com a dignidade, ao repeito as regras de um jogo de que participamos. Não importa se estamos perdendo o jogo, não importa se os participantes falharam no seu desenrolar. O que tem de valer, o que tem de ser respeitado são os valores que concordamos respeitar quando decidimos participar do jogo.
    Quem levou para o congresso estes vereadores, deputados estaduais, deputados federais e senadores, fomos nós, que os escolhemos e os elegemos. Como fomos nós que elegemos a Presidenta que está sendo ameaçada de impeachment. Se esta senhora não violou nenhuma regra do jogo, não podemos impedí-la de concluir seu mandato., porque neste caso estaríamos impedindo e anulando o voto de milhões de cidadãos. Com que critério anularíamos estes votos:, com os cftérios de Pelé que dizia que o povo não sabe votar, com critérios raciais, negro não pode votar: com critérios sexuais, homossexual não vota: com critérios de gênero. mulher tá fora… com critérios de escolaridade. só votam os com curso superior completo, so os trabalhadores… só os louros… só os altos… só os gordos?
    Não vamos acordar bem, isso é certo.

    Curtido por 1 pessoa

  15. Marceu, prezado. Com satisfação, trago dos comentários feitos no meu blog quando compartilhei este seu artigo, os elogios feito por u, leitor meu, João de Paiva, que alega não ter conseguido postar aqui a mensagem que desejava e me encarregou disso. É com o maior prazer que me transformo em pombo correio. abraços e sucesso Marcelo Auler

    Li a crônica. Mas lá na página do Marceu é muito burocrático para se postar um comentário. sendo assim, comento aqui mesmo. Peço ao jornalista Marcelo Auler que republique este meu comentário lá na página do autor da crônica. eis o comentário.

    “Muito interessante a entrevista com o falecido Leonel Brizola. Dei risadas ao ler as passagens em que ele confunde o nome do entrevistador. Eu pude ver e ouvir o Brizola cometendo aqueles lapsos tão típicos do gaúcho que conseguiu adiar o golpe de 1961. Só faltou a pergunta/interjeição, com que Brizola sempre terminava as respostas: compreendeu!?

    E sobre o PT e sobre o Lula, o repórter/cronista foi preciso, ao registrar o ressentimento (e uma boa dose de inveja) que Brizola sempre nutriu em relação ao partido de base operária, cujo maior líder era, e ainda é, o ex-metalúrgico Luiz Inácio Lula da Silva. Uma demonstração clara disso é o despeito que Brizola sempre nutriu pelos intelectuais que participaram da fundação do PT ou que se tornaram lideranças do partido. Marceu Vieira captou com precisão esses traços da polêmica figura política que foi Leonel Brizola. Mas o cronista peca por omitir o ato-falho que minou a credibilidade de Leonel Brizola, levando-o ao ostracismo no final da vida: o apoio que ele deu a Fernando Collor de Mello, depois que este se elegeu presidente. Brizola não foi derrotado pela Globo e por Roberto Marinho, mas por esse erro fatal, que lhe custou a credibilidade e confiança que todos os cidadãos identificados com as Esquerdas depositavam nesse político gaúcho, que depois radicou-se no Rio de Janeiro.

    Essa bela crônica mostra também a simpatia que o cronista tem por Brizola. Fernando Brito se declara brizolista, nos textos que posta no blog dele. Embora Marceu Vieira não seja tão explícito, os leitores facilmente percebem por quem o coração dele balançava, em termos políticos.”
    João de Paiva (o_inconformado@yahoo.com.br)

    Curtido por 1 pessoa

  16. Dilma perdeu a Presidência, porque representava um grande risco para os desonestos que viviam rondando ela e seu modo de governar que eles não aceitavam. Realmente , ela perdeu a Presidência, pelo que fez de certo e não pelos erros , qu nem foram tantos , pela inveja e sede de poder que ele conservavam. Esses ratos nunca se conformaram com o PT dirigindo o Pais por tanto tempo .

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s